Confessadamente Arrependido -


Esclarecimentos finais da Carta à um pároco prepotente 

  Fico muito triste com a repercussão que isso tomou  (Texto:Carta à um pároco prepotente ). Deus conhece o meu coração e, certo ou errado, Ele sabe minhas intenções. Intenções estas que deixei claras no texto bem como nas respostas aos comentários.
Quero pedir perdão a todos os paroquianos que se sentiram ofendidos, eu fiz crítica a maneira de administrar de um pároco, jamais quis ofendê-lo no pessoal e muito menos ofender esta comunidade que tenho muito amor e gratidão, creio ainda que foi por amor que eu escrevi tal carta.
Foi associado a minha imagem um caráter de revoltado, lamento muito, pois essa rebeldia não pertence a mim. Lamento a inda ter decepcionado algumas pessoas, e saber que há pessoas sendo injustamente punidas em conseqüência das minhas palavras, pelo fato de terem concordado comigo o por simplesmente serem meus amigos ou familiares. Isso me deixou em dores.
Estou convencido que não disse mentiras, porém como me advertiu uma sábia amiga, as pessoas não estão preparadas para escutar a verdade dessa maneira. Nas palavras de Jesus: “não jogue perolas aos porcos.”
Ou seja, não errei no que disse, mas como eu disse... Fui áspero e me igualei a prepotência do criticado, confesso. Faltaram mansidão e caridade nas minhas palavras. Foi a minha maneira de dizer o que penso e creio. Sei que nisso eu errei...
Outra vez o meu confesso pedido de perdão, se não for possível perdoar pediria a compreensão sistemática de minhas palavras. Também me entreteceu algumas iniciativas de paroquianos em causarem um sensacionalismo religioso atribuindo a mim horrendos palavrões e até mesmo a o estado de “possuído pelo demônio.” Causou-me risos essa ignorância.
Enquanto o pároco esta anunciando na missa que eu terei o inferno a minha fé me leva a crer mais convicto de que o Céu começa aqui para aqueles que professam o amor em um Deus de Inclusão e Compaixão. Creio que somente Deus conhece verdadeiramente uma pessoa, por isso comungo com o mente e o coração livre, e ao que sei julgar é papel de Deus, bem como direcional pro “céu ou pro inferno”.
O que pré-julgam com errado me aproxima ainda mais de Deus, pois só sendo assumidamente eu é que posso me direcionar ao Amor Misericordioso como as mãos limpas.  E Dele receber toda força e sabedoria que preciso para viver.
Tenho imenso orgulho da minha história. Sou grato aos meus queridos Milionários Redentoristas que me acolheram no seminário e me ensinaram muito da vida e da fé até mesmo depois que deixei a casa de formação. Sou feliz por ter feito parte da comunidade Santa Maria dos Anjos e ter convivido com a fraternidade franciscana. Orgulho de ter crescido dentro da sacristia dessa paróquia que por ora declara ódio a minha pessoa. Ate mesmo as coisas negativas que vivi na Igreja, hoje, considero como motivo de orgulho por em tudo Deus modelar-me e fazer de mim o homem-feliz diante do Céu e da Terra. E tantas outras coisas que orgulho que, todavia, prefiro não citar para não qualificar como currículo religioso.
Seu eu estiver errado quanto ao que escrevi e creio suplico-te Deus que converta o meu coração para o caminho do bem. Pois não caminharei nessa vida em direção alguma que eu não esteja convicto de que seja o rumo da paz e do bem, da verdade e da redenção.
Agradeço a todos que ao compreenderem as minhas palavras me defenderam, defenderam a por me conhecerem ou não. Porém devo agradecer também aqueles, que a pesar de não concordarem comigo me compreenderam e mansamente tentaram me corrigir. Enfim, a todos, ate mesmo aos que tem me xingado e devotado ódio, a minha mais sincera existência de limitação e o complemento dos meus sentimentos de abertura e amizade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Questões respondidas sobre Platão - Por prof. Ítalo Silva

Questões respondidas sobre o Iluminismo