Discurso do professor Antônio Carvalho, por ocasião da colação de grau da turma de Filosofia 2010/2 – Faculdade Católica de Anápolis

Muito valida a reflexão, vale a pena:


 Como sou sofista, vivo da filosofia como meio para ganhar dinheiro. Em meio a este processo fiz amigos, não todos alguns são colegas, outros são amigos... Dizem que a verdadeira amizade surge no encontro. São encontros que marcam a nossa existência. Aquilo que amamos e aquilo que odiamos, aquelas coisas surgiram de encontros. O encontro é que gera companhia, e a verdadeira companhia é aquela que nos orienta ao destino para o qual fomos feitos. Não precisa ser religioso, basta usar a razão para descobrir isso.
É aquela história do “tocando em frente”, na marcha do tocar em frente nós vamos parando aqui e acolá encontrando os rostos mais diferentes, eles acabam se tornando companhias ou meras lembranças da nossa existência.
Atualmente verifica-se na Europa, o continente mais velho da onde surgiu a nossa racionalidade, uma doença terrível que produz em nós a chamada solidão. As pessoas se isolam, se entretecem e conseqüente morrem. Recentemente um filósofo judeu, ateu, safado, (risos), (...), então tem tudo para jogar pedra nele. Chamado Habermas, em entrevista dá pra ver tão feio ele é. É o restante da escola de Frankfurt.
Ele dedica os seus últimos dias de vida a desfazer tudo aquilo que os seus colegas disseram, o Adorno e o Horkheimer. Quero deixar essa palavrinha pra vocês, desse filósofos todo desqualificado, exteriormente falando. Enquanto seus antigos colegas diziam que os jovens no futuro amariam a antimúsica. Basta a gente ver a antimúsica por ai... As crianças iriam admirar os monstros. Basta ver nas brincadeiras de nossas crianças os monstros, sereis disformes. Existiria a antiarte.
Como Platão dizia que é pela beleza que se entra na realidade o que se mostra hoje é a feiúra. Então nós temos medo de entrar na realidade, porque não conseguimos entrar na realidade. As crianças passa a ter medo da realidade e vivem o virtual. Esse filósofo escreveu recentemente uma carta, juntamente com outros filósofos e convidavam os jovens para uma experiência. Eu pediria a vocês que não esquecessem de indicar aos jovens essa experiência que estes filósofos indicam.
Mandou que os jovens se reunissem nos bares, tomassem café, enchessem a cara... Participassem juntos, abandonassem o seu mundo pequeno e ficasse juntos. Daí surgiu os cafés filosóficos, os jantares filosóficos e todas as outras substancias que precedem o indicativo filosófico que se possa imaginar. Ele imaginou o seguinte: nós erramos, então se os jovens tinham meios, no meio dos jovens surgirá o calor, o calor da amizade. E do calor da amizade surgirá a vida... 

Comentários

  1. Eh, o grande Antonio,.. louco. Mas grande. Muito do que aprendi na faculdade de Filosofia e aplico a vida devo a ele e ao glorioso Prof. Edinaldo.
    Realmente, da aceitaçao da nossa natureza social surge o calor e dai a vida...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Questões respondidas sobre Platão - Por prof. Ítalo Silva

Questões respondidas sobre o Iluminismo

Preleção da intolerância sangrenta...